Parque Municipal Horto de Maruípe

Nome: Parque Municipal Horto de Maruípe

Regulamentação: Decreto Municipal 9.758, de 14 de dezembro de 1995.

Histórico: Em 10 de agosto de 1920, o Governo do Estado adquiriu do inglês Briam Barry a Fazenda Maruípe, onde implantou o Horto Estadual para produção de mudas ornamentais que embelezariam os logradouros da Capital, em franco período de modernização. Em 03 de julho de 1938, pelo Decreto Lei nº 11.869, o Governo do Estado doou a Prefeitura Municipal de Vitória parte da Fazenda Maruípe, onde foi implantado o Horto Municipal, dando continuidade à produção de mudas para arborização da cidade e embelezamento de praças e jardins públicos. Sendo de grande beleza, esta área era utilizada para visitação pública e lazer dos cidadãos de Vitória.

Na década de 70, a cidade cresceu aceleradamente e o Horto Municipal já não comportava atender à demanda do município, sendo transferido para uma área em Cariacica, o Horto Florestal Municipal Arthur Dias Martins Filho.

A área foi praticamente abandonada, servindo de depósito de materiais de construção das obras municipais, depósito do setor de parques e jardins, abrigando ainda uma fábrica municipal de blocos e manilhas e uma garagem de manutenção de máquinas pesadas.

Em 1988 a comunidade, após amplo debate, optou pela implantação de um parque.
Em 1993, deu-se início as obras de implantação do Parque Municipal Horto de Maruípe, com parceria da Companhia Vale do Rio Doce.

A Prefeitura Municipal de Vitória procurou recriar uma área verde com grande diversificação de espécies vegetais, principalmente da Mata Atlântica, onde podem ser desenvolvidas atividades educativas, culturais e de lazer, com a população.

Fonte: Equipe da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMAM).

Área: 63.000 m²

Topografia: Ligeiramente ondulada, com declive acentuado apenas junto à nascente. A parte central é ocupada pelo córrego represado por vários diques. Duas depressões formam dois lagos de águas correntes.

Fauna: Aves e peixes.

Flora: Vegetação típica de Mata Atlântica e exótica, todas introduzidas. O projeto paisagístico reintroduziu espécies da Mata Atlântica, tais como: pau-brasil, angelim, ipês, angico, mogno, sapucaia, jacarandá e frutíferas. Presença de bromeliário, denominado Roberto Kautsky, com espécies típicas da Mata Atlântica do Espírito Santo.

Entrada: gratuita.

Acessos:
Av. Maruípe – Maruípe
Rua José João de Souza – Itararé
Rua Areobaldo Bandeira – Da Penha
Rua Antônio José Cardoso – Da Penha

Telefone da Administração: (27) 3382.6593

Horário de funcionamento:

Terça a domingo: das 05h às 22h

Espaço esportivo: 01 campo de futebol de areia, 01 quadra poliesportiva e pista de caminhada.

Espaço recreativo: 02 playgrounds.

Centro de Educação Ambiental (CEA): A equipe do CEA trabalha com escolas, comunidades do entorno e visitantes. Há agendamento para visita monitorada de grupos organizados, de terça à sexta-feira. Atendimento ao Projeto Parquescola e Projeto “Nossa saúde, nosso ambiente” em parceria com a UFES. Existe também uma parceria com o Instituto Unibanco para a realização de atividades de Educação Ambiental. Telefone CEA: 3135 – 3190.

Serviço de Orientação ao Exercício (SOE): Oferece de terça à sexta-feira, atividades como ginástica e alongamento.

Módulo da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer: Oferece de terça à sexta-feira, atividades como futsal, futebol de areia, atletismo, capoeira, handebol e xadrez.

Monumentos:

– Crescente – escultura feita em aço pelo artista plástico Sebastião Fonseca.

Fonte: PMV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*