Parque Municipal de Tabuazeiro

Nome oficial: Parque Municipal de Tabuazeiro.

Área: 50.140,30 m²

Regulamentação: Decreto n.º 9.753, de 02 de dezembro de 1995.

Acesso: possui um acesso, pela Rua Santos Dumont (final).

Bairro: Tabuazeiro.

Ônibus: São Cristóvão-Rodoviária e Tabuazeiro-Rodoviária.

Telefone: (27) 3382.7291.

Horário de funcionamento:

Segunda-feira: Fechado

Terça a domingo(Inclusive feriados): 8h às 17h

Topografia: em sua maioria, bastante acidentada, encravado nas encostas do morro, cuja altitude atinge 200 m. Possui um córrego em seu interior, que dá origem a vários lagos e represas.

Fauna: répteis (teiús e cobras), mamíferos (saguis e saruês), aves silvestres (coleiros, saíras, gaturamos, sabiás, melros e arapongas).

Flora: possui cobertura vegetal de frutíferas (manga, jaca, jambo, carambola, pinha, cacau, abacate, tabuá, fruta-pão, araçá e goiaba) e remanescentes da Mata Atlântica (louro, aderne e angico) Destacam-se as plantas medicinais cultivadas, que servem à população local, graças à fitoterapia popular.

Cercamento: totalmente cercado.

Espaço esportivo: campo de futebol soçaite e quadra poliesportiva.

Espaço recreativo: quiosque, churrasqueira e playground.

Espaço para eventos: largo do quiosque, com palco para shows e Centro de Educação Ambiental (CEA).

Setor de apoio à Unidade de Conservação: sede administrativa, sanitários, vestiários, almoxarifado e viveiro de plantas medicinais, com distribuição de mudas à comunidade e instituições interessadas.

Características gerais:

A área onde foi implantado o Parque foi adquirida pela municipalidade em 1986. É remanescente de antigo sítio utilizado pelos proprietários para a atividade agrícola: ali eram desenvolvidas a fruticultura e a cafeicultura.

Na região plana existem árvores de grande porte como fruta-pão, jaqueiras, jambeiros, abacateiros, mangueiras e castanheiras. Outras frutíferas de menor porte estão espalhadas por toda a área. A árvore mais significativa é o secular cajá-mirim (tabuazeiro).

Existem duas nascentes, que dão origem ao córrego que atravessa o parque em sua parte inferior, tendo às suas margens farta vegetação de brejo.

Fonte: PMV-Secretaria de Meio Ambiente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*