Igreja e Residência de Reis Magos

Localização: Rua Reis Magos, s/n. Nova Almeida, Serra – ES
Telefone: (27) 3253-1842
Funcionamento: terça a domingo das 9h às 17h.
Na temporada de verão, a Igreja permanece aberta até às 22h.Todos os domingos, celebração às 8:30h e missa às 20:30h.

Localizada em Nova Almeida, a Igreja e Residência Reis Magos situa-se em região estratégica, a 40 metros acima do nível do mar, de onde se pode ver todo o entorno. A construção da primeira capela teve início com o Padre Braz Lourenço, junto aos índios Tupiniquins locais, sendo inaugurada no dia 06 de janeiro de 1557. Era pequena e feita de palha. Em 1615 a Igreja e Residência Reis Magos foi inaugurada.

Visitação ao Monumento Reis Magos
A visitação é feita por monitoria com estagiários do curso de Turismo.

Se você for visitar este monumento, lembre-se:
Não é permitido grupos de visitação com mais de 25 pessoas (sendo sugerido grupos menores e acompanhados);
Não é permitida a visitação consumindo alimentos sólidos ou líquidos;
Não é permitido a entrada à residência portando volumes como mochilas, frasqueiras, ou bolsas de grande volume (estas deverão permanecer no interior dos veículos);
Não é autorizada a visitação em áreas de acesso restrito a funcionários;
Só é permitida a visitação por crianças se estiverem acompanhadas de adultos;
É proibida a entrada de animais;
É proibida a visitação trajando roupas de banho;
É proibido sentar, escorar, ou pisar nas vitrines expositiva

Curiosidades
O conjunto “Reis Magos”, Igreja e Residência, conta com as paredes construídas com pedra de recifes com argamassa de barro, areia, cal de conchas (ostras) e óleo de baleia, que sustentam as estruturas de madeira dos pisos e telhados da cobertura em telhas de barro. No altar da Igreja encontra-se um retábulo entalhado em madeira Louro Canela, finalizado possivelmente em 1702.

No centro do retábulo, pode-se ver o quadro “Adoração dos Reis Magos”, considerada primeira pintura a óleo sobre painel de madeira do Brasil.
A igreja recebeu visitas ilustres do desembargador Luiz Tomás de Navarro, em 1808; do príncipe Maxmiliano de Wilde-Neiwide e o naturalista Auguste de Saint-Hilare, em 1818; do geógrafo Charles Frederik Hart e do pintor françês François Biard, 1858; de D. Pedro II, em 1860, e do bispo D. Pedro Maria de Lacerda.

A igreja foi tombada como patrimônio histórico cultural, em 21 de setembro de 1943, pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Históricoe Artístico Nacional). Passou por cinco restaurações, sendo a última a mais significativa, realizada em 2001 e finalizada em 2003, quando teve suas instalações inteiramente recuperadas e seus espaços reorganizados da seguinte forma:

Andar Térreo:

  • Antiga Sacristia – Possui um móvel antigo;
  • Nova Sacristia – Para uso exclusivo do Pároco (acesso restrito);
  • Cela – Vitrines com fragmentos de objetos encontrados nas escavações arqueológicas;
  • Reserva Técnica (uso restrito) sala de uso do IPHAN para armazenagem de equipamentos, material de escavações, ferramentas, entre outros;
  • Sala Multi-uso (acesso restrito);
  • Sala para uso da Comunidade Católica;
  • Banheiros

Andar Superior:

  • Auditório – com acomodação para 42 pessoas e 06 lugares no praticável (tablado);
  • Copa – (acesso restrito);
  • Acervo Regional – possui pequeno acervo de objetos doados pela comunidade (panelas de ferro, roda de moinho, etc.),
  • Obs. Objetos não catalogados – sala não disponível para visitação;
  • Galeria de arte – 02 salas para exposições temporárias;
  • Sala de construção – exposição de telhas originais do Monumento que ressaltam as características do modo de produção dos artesãos (índios e negros).
  • Sala de reunião;
  • Sala da Administração (acesso restrito);
  • Subida para torre sineira;
  • Coro – não é aberto para visitação pública

Fonte: Prefeitura Municioal da Serra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*