A Casaca

Ilustração de Dom Pedro II em visita à Nova Almeida

Ilustração de Dom Pedro II em visita à Nova Almeida

Casaca, Cassaco, Canzaca, Canzá, Ganza, Reque-reque, Reco-reco.Diversos são os nomes dados ao longo da história para um dos instrumentos musicais e simbólicos mais famosos no universo cultural do Espírito Santo.Está presente, na maioria dos casos, nas Bandas de Congo, no entanto, como mostrou o grande folclorista capixaba Guilherme Santos Neves, aparece em outras manifestações, como os Jongos e Caxambus. Existindo ainda um registro desse mesmo folclorista, feito no início da década de 50, da presença da Casaca em um rito fúnebre denominado “Encomendação das Almas”, em uma cidade do interior do Espírito Santo.

A Casaca é uma variação capixaba de um instrumento encontrado em várias partes do mundo, o reco-reco. Os congueiros esculpem uma cabeça humana no topo do instrumento, deixando como corpo o casaco e o pescoço, como local para segurar.

Dilma toca casaca de Mestre Vitalino
Dilma toca casaca de Mestre Vitalino

A memória oral de alguns velhos congueiros afirma que o esculpido na Casaca era alguém odiado pelo grupo, como capitães do mato e maus senhores: uma forma de satirizar agarrando pelo pescoço esses maus homens. A forma humana do reco-reco só existe no Espírito Santo, provavelmente é um dos toques da mão totêmica indígena no lindo batuque capixaba.

Tradicionalmente produzida com uma madeira de alagadiços chamada tagibubuia, ganha a partir de um artesão da Serra uma nova versão, em PVC. Tute considera a alternativa ecologicamente correta e sua casaca não perde em qualidade estética e sonora.

 

Extraído de: Michel Dal Col Costa (Casa de Congo Mestre Antonio Rosa – Serra, ES)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*